ARLS JARBAS TADEU DE FREITAS, Nº 827

JARBÃO

logo

Um pouco de nossa história, de nossas origens.

A JARBÃO teve

Capitulo Criptico Comanderia

Rito de York

O Rito de York, por ser teísta ( doutrina comum a religiões teístas e sistemas filosóficos frequentemente inclinados ao fideismo, caracterizada por afirmar a existência de um único Deus, de caráter pessoal e transcendente, soberano do universo e em intercambio com a criatura humana ), está mais ligado aos países onde os cultos evangélicos predominam, pois o clero desses cultos tem dado à Maçonaria o apoio e o suporte necessário para a sua evolução e crescimento.

O Rito York é o rito predominante da Maçonaria Norte Americana. Sob sua égide se desenvolveram líderes da sociedade estadudinense nos principios da Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Estudiosos afirmam que este rito tem origens iluministas.

O Sistema ritualístico Norte-americano, mais conhecido por Rito de York ou Rito Americano, tomou a sua forma hoje conhecida a partir de 1797, por intermédio do então codificador e “maçonólogo” I.’., Thomas Smith Webb, que fez uma coletânea dos rituais dos Graus Simbólicos, Graus Capitulares, Graus Crípticos e as Ordens de Cavalaria. Webb tomou por base para composição do Rito, as Ilustrações de Maçonaria ( Illustrations of Masonry ) do I.’. Willian Preston(1772) e das ritualísticas e procedimentos da Grande Loja dos Antigos (1751).

Acredita-se que o Rito de York foi levado à Inglaterra por volta de 1777.

Surge então o Rito de York ( York Rite ), reforçando ainda mais as origens dos Antigos. Não sendo bastante no mesmo ano, em 24 de outubro, na cidade de Boston, Webb conseguiu a proeza de reunir diversos Sumos Sacerdotes dos Capítulos em uma Convenção. Após a Convenção o Companheiro Ephraim Kirby foi eleito em 24 de janeiro de 1798, Grande Sumo Sacerdote, transformando no ano seguinte, da união de todos os Grandes Capítulos, o Grande Capítulo Geral dos Maçons do Real Arco ( The General Grand Chapter of Royal Arch Masons ), recebendo o termo International a partir de 1954. Nos EUA as Lojas Simbólicas são denominadas Lojas Azuis ( Blues Lodges ), e em muitas Grandes Lojas só se usa a terminologia Rito a partir do 4º Grau do REAA e do Grau de Mestre de Marca do Real Arco. Pode parecer paradoxo, pois o sistema das Lojas Simbólicas originara-se a partir da composição de Webb, ou seja, RY.

Conforme o Educational Bureau of the General Grand Chapter, Royal Arch Masons dos Estados Unidos da América.

O Rito de York é dividido em 4 partes:

Escada da Evolução

Os Capitulos conferem 4 graus:

Mestre de Marca,

Past Master (virtual),

Mui Excelente Mestre e

Macom do Real Arco.

Os Graus Cripticos. O Conselho Criptico ou Conselho de Mestres Reais e Eleitos, conferem os graus de:

Mestre Real,

Mestre Eleito e

Super Excelente Mestre;

As Ordens de Cavalaria. A Comanderia Templaria ou Ordem dos Cavaleiros Templarios, conferem Ordens, ao inves dos usuais graus e essas Ordens sao:

Ordem da Cruz Vermelha,

Ordem de Malta e

Ordem do Templo.

Mestre de Marca

Qual é sua marca?

Capitulo

Companhias, organizações, paises, grupos usam suas marcas, logos, símbolos, bandeiras para identificar-se. Muitas reconhecemos um país, produto ou organização não por uma sentença ou palavra escrita, mas um símbolo. Especialmente os militares tem orgulho de seus símbolos. Nas olímpiadas, reconhecemos os atletas por suas bandeiras. No tempo dos Cezares os escravos eram marcados como se fossem gado. Marcas são usadas para mostrar qualidade e caráter. Quando se vê o esquadro e compasso sendo usado por uma pessoa, se tem a expectativa de certas qualidades nesta pessoa.


No Grau de Mestre de Marca se tem uma lição muito prática, específica de como um maçom deveria viver e trabalhar. No passado era usado para identificar seu trabalho, nas construções. Hoje, faça sua marca, tenha sua marca, coloque sua assinatura, coloque seu selo ainda são usados nas empresas, por profissionais nas diversas áreas, vide o ramo automobilístico. Tudo tem a ver com qualidade e reputação de seus produtos e serviços.No grau de mestre, é permitido e exigido a feitura de sua marca com seu próprio desenho. Esta marca deve representar, interiormente, a partir de agora com mais ênfase, a qualidade de tudo o que fizemos. Nos relacionamentos, no trabalho e o orgulho que está acompanhado em tudo o que fizemos:

EU FIZ AQUILO.

O esquadro e o compasso é um símbolo que projeta para as pessoas que o vêem. Pode ser uma imagem positiva, indiferente ou negativa. Como está percepção será depende de como este indivíduo aja durante um longo período de tempo. Muitos de nós aceitamos ou rejeitamos produtos ou serviços de acordo com a sua marca, nome da companhia. Perguntamos-nos: Quem fez isto, quem assinou quem está por detrás, são perguntas comuns para avaliar e tomar uma decisão. Três grandes símbolos da maçonaria, o esquadro, compasso e a bíblia, sempre estão no altar de uma loja, com exceção de alguns ritos, (Moderno ou Francês). O esquadro nos ensina nos ações em relação as pessoas e o compasso nos ensina para mantermos as paixões sobre controle. A bíblia e constantemente referida nos trabalhos. E aberta e está sempre à vista do Venerável Mestre assim sua luz está sempre presente. Com raras exceções se passa entre a Bíblia (Shekinah) e o Altar, para não obscurecer sua luz. A maçonaria incentiva à leitura e estudo da bíblia, mas nas faz interpretações. Cada um deve tirar suas próprias conclusões.

O companheiro achou uma pedra, bonita e a apresentou. Estava fora de esquadro e foi rejeitado. Não recebeu pagamento e ainda ficou com problemas porque apresentou que não era seu. Quando estamos construindo, e todos estamos construindo sem templo interior, para que fique cada vez mais bonito, harmonioso, devemos estar aberto a todas as novas idéias, sugestões porque pode ser aquela sugestão que aparentemente está fora do esquadro que pode estar faltando. Podemos tirar lições dos dois lados. O Companheiro é a mente progressiva. Os inspetores a mente conservadora. Ambas presentes na sociedade.Ambas as forças são necessárias para o progresso da humanidade, de uma organização,porque é no balanço, no equilíbrio que o progresso, o sucesso é obtido.

Mesmo que o Companheiro apresente uma idéia aparentemente utópica, que os inspetores não estão dispostos a receber, é preciso lembrar que os progressos científicos, por exemplo, são penosamente lentos. Por outro lado, uma idéia radical imposta a um grupo, empresa, governo só traz discórdia. A evolução e não a revolução é o caminho do meio, é o caminho do progresso.

É claro que não podemos esquecer que daquela pedra especial rejeitada que foi recuperada, havia muitas que simplesmente pertenciam ao lixo.

Se não podemos aceitar uma pedra, uma idéia, um trabalho, não o julguemos por falta de conhecimento, por ser diferente peculiar ou porque está fora dos nossos padrões, ou acima do nosso nível de consciência.

As ferramentas do Mestre de Marca são o malho e o cinzel, justamente para expelir a arrogância até que se transforme em compaixão, o excessivo orgulho até que se transforme em humildade, egoísmo em altruísmo. Somos lembrados disto no primeiro grau, onde devemos desbastar a pedra bruta.

No grau de mestre de Marca, passagens da bíblia são lidas do altar. A parábola (Mateus, Capitulo 20, versículo 16) é para enfatizar que a diferentes níveis de consciência ao nosso redor, e nos explica que o que podes achar favorecimento, injustiça, nada mais é do que o merecimento por trabalhos já realizados, talvez até em outros tempos.

O grau de mestre é pragmático e em resumo nos diz.

Nunca peça ou pegue para si o trabalho e ações de outros.

Esteja disposto, dentro de suas possibilidades de ajudar outros irmãos.

Lembre-se que o dono do vinhedo pode fazer o que quiser com o que é seu.

Sempre revise seu trabalho, suas qualidades, para estarem de acordo com as que o Grande Arquiteto tem em mente.

A marca pessoal, o esquadro e o compasso, sempre devem ser os sinais de que somos parte de uma família na qual podemos confiar clamar por assistência, se for o caso.

Marcos Hans

Mestre de Marca

Maçonaria Críptica

Criptico

O Rito Criptico é, de acordo com a Enciclopédia Maçônica de Coil, "um dos menores, mas um dos mais importantes e certamente um dos mais curiosos de todos os ritos". Pois "Criptico" vem do Grego krypte que significa "oculto, escondido ou segredo" e assim veio significar uma caverna ou outro lugar subterrâneo oculto.

s graus Crípticos são centrados em histórias que envolvem uma cripta sob o Templo do Rei Salomão em Jerusalém, onde certos “tesouros” foram escondidos para propósitos muito específicos. Eles foram primeiro chamados "Tesouros Crípticos" por Rob Morris, um Maçom muito influente de 1800.

A razão de sua importância é que ele completa uma importante alegoria maçônica. A Maçonaria sendo filosófica, ensina seus ideais por alegorias ou histórias. Esta filosofia é, porém, moralista e religiosa. Mas a Maçonaria não é uma religião, nem um substituto para tal. Uma das exigências para a associação é a crença em Deus. É mandatório que um homem professe uma crença em um Ser Supremo antes de se tornar um maçom. A Maçonaria nunca tenta alterar as convicções de qualquer um. Ela não oferece qualquer teologia ou plano de salvação. Porém, oferece um plano moral para ser usado neste mundo.. deixando o Maçom livre para buscar sua própria religião salvadora.

Maçonaria Críptica consiste em dois graus: o grau de Mestre Real e o grau de Mestre Escolhido. Estes originalmente não têm nenhuma relação entre si e só foram combinados em um Rito depois que já existiam por muito tempo. Somente pode ingressar nos Graus Crípticos os maçons que receberam o grau de Maçom do Real Arco.

Ordens de Cavalaria

Comanderia

As Ordens da Cavalaria representa um conjunto de três outras Ordens que culminam no grau de Cavaleiro Templário. Esse corpo é nitidamente diferente se suas contrapartes estrangeiras, pois demonstram certa estrutura e aparência paramilitares na Maçonaria, sendo o único ramo da Maçonaria no mundo que é um corpo uniformizado.

A Ordem Templária do Rito de York é organizado de maneira diferente de seus pares mais próximos na Inglaterra. Ele possui a Ilustre Ordem da Cruz Vermelha que não é conferida por qualquer organização, embora ela tenha “primos” próximos nos graus da Ordem dos Cavaleiros Maçons Irlandeses e Americanos e nos Graus Maçônicos Aliados Ingleses da Cruz Vermelha da Babilônia. E também, a Ordem de Malta é conferida aos membros antes de estrem aptos a receberem a Ordem do Templo, onde na Inglaterra, a Ordem da Malta é um grau honorário dado aos Cavaleiros Templários na Ordem do Templo.

logo